Monthly Archives: novembro 2016

O que é o pecado contra o Espírito Santo?


O que é o pecado contra o Espírito Santo?

Samuel Rindlisbacher

Pergunta: “No aconselhamento bíblico as pessoas perguntam com freqüência: Será que cometi o pecado contra o Espírito Santo? Deus ainda pode me perdoar?”.

Resposta: Só podemos responder uma única coisa àqueles que têm essa dúvida: “Não, você não pecou contra o Espírito Santo!”.

Enquanto estivermos aqui na terra, infelizmente iremos pecar e entristecero Espírito Santo. Todos nós, mesmo depois de salvos, erramos e ofendemos a Deus. João escreve: “Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos e a verdade não está em nós” (1 Jo 1.8). Infelizmente, a realidade é essa. João afirma que todos pecamos e logo aponta para a possibilidade de sermos perdoados, pois diz no versículo seguinte: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 Jo 1.9).

Para entendermos a declaração que Jesus fez acerca do pecado contra o Espírito Santo: “Por isso, vos declaro: todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada” (Mt 12.21), precisamos observar todo o contexto das Suas palavras e ir ainda mais além, ampliando nosso foco de visão e voltando ao Antigo Testamento. Uma das finalidades principais do Antigo Testamento era anunciar a vinda do Messias, do Salvador. Autenticando Sua vinda, o Messias faria grandes sinais e milagres.

Quando Jesus começou a atuar publicamente, “indo para Nazaré, onde fora criado, entrou, num sábado, na sinagoga, segundo o seu costume, e levantou-se para ler” (Lc 4.16). Deram-lhe o livro do profeta, e Ele leu: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para por em liberdade os oprimidos e apregoar o ano aceitável do Senhor” (vv.18-19). E acrescentou, referindo-se a Si mesmo: “Hoje, se cumpriu a Escritura que acabais de ouvir” (Lc 4.21).

Ao fazer isso, Jesus estava reivindicando ser o Salvador prometido, Aquele sobre quem o Espírito do Senhor repousava. Como confirmação dessa realidade, Ele curou enfermos, expeliu demônios, andou sobre as águas, alimentou uma grande multidão com apenas dois peixes e cinco pães e ressuscitou mortos. E foi um passo além, afirmando ser igual a Deus! Uma pretensão monstruosa, não fosse a existência dos sinais e milagres acompanhando Suas palavras e acontecendo exatamente como previstos no Antigo Testamento. As manifestações que acompanhariam o Messias e a legitimação divina de Seu ministério já haviam sido profetizadas nas Escrituras do Antigo Testamento.

Os fariseus sabiam de tudo isso. E sabiam muito bem. Mas isso os colocava diante de um grande dilema: eles tinham de escolher entre admitir que Jesus Cristo era o Messias e crer nEle – correndo o risco de perder sua posição e seu status – ou rejeitar Jesus como Messias – e, nesse caso, tinham de encontrar outra saída para explicar as obras que Jesus fazia.

Infelizmente, escolheram a segunda opção e rejeitaram Jesus Cristo. Isso aconteceu mesmo tendo eles pleno conhecimento dos milagres e sinais e sabendo com exatidão o que o Antigo Testamento dizia acerca do Messias que viria. Sua rejeição a Jesus como Messias deu-se apesar de saberem que Ele era o Messias de Israel! Sua resistência a Jesus era tão grande que eles tiveram a coragem de atribuir aos demônios os milagres e sinais que Jesus fazia por meio do Espírito Santo: “Mas os fariseus, ouvindo isto, murmuravam: Este não expele demônios senão pelo poder de Belzebu, maioral dos demônios!” (Mt 12.24).

Essa negação consciente da ação do Espírito Santo, sua inarredável rejeição ao Messias prometido, sua não-admissão de que Jesus era o Prometido, sua decisão consciente: “Nós não O queremos!”, os seus planos malignos para tirar Jesus do caminho, seus jogos de poder para manter sua posição, tudo isso foi chamado por Jesus de pecado contra o Espírito Santo.

Ninguém cuja consciência ainda se manifeste, cometeu esse pecado. Se alguém ainda teme ao Deus vivo, não pecou contra o Espírito Santo. Ninguém é culpado desse maior de todos os pecados se ainda sentir culpa diante de Deus ou lamentar seu estado perdido.

Anime-se outra vez e olhe para Jesus! Ele perdoa, Ele tem prazer em perdoar sempre! E de perdoar mais uma vez! A qualquer hora!

Mas se nossa consciência ainda assim nos acusar e não nos deixar em paz, firmemo-nos na Palavra de Deus, que diz: “se o nosso coração nos acusar, certamente, Deus é maior do que o nosso coração e conhece todas as coisas” (1 Jo 3.20). Deus em Sua graça é maior, bem maior do que a sua consciência em tumulto! (Samuel Rindlisbacher)

O Advento do Espírito Santo

Resultado de imagem para Imagem espírito Santo

O Advento do Espírito Santo – Ele Veio Para Fazer Estas Coisas Reais nos Crentes

Chegamos ao advento do Espírito Santo. Você percebe que cada passo deve seguir o precedente, cada um é uma parte do outro. O advento do Espírito Santo foi para absorver todas aquelas coisas que tinham precedido, para trazê-las à terra, do Senhor glorificado no Céu, e para torná-las reais em você e em mim. O Espírito Santo veio para tornar eficaz em você e em mim a redenção para a qual Cristo veio _ ‗a redenção que está em Cristo Jesus‘ (Rom 3.24) _ a reconstituição do homem demonstrada em Cristo. Ele veio para continuar aquela obra que foi aperfeiçoada Nele, e levá-la à perfeição em nós _ para nos aperfeiçoar também, para nos fazer completos com a plenitude de Cristo.
Assim, a base da operação do Espírito Santo é nada menos do que todo o significado da Encarnação, naqueles aspectos. Quanto à vida terrena, aqui está o Homem, o tipo de homem que Deus procura, e o Espírito Santo veio para nos conformar a este tipo de homem, à imagem do Filho de Deus: numa palavra, tornar-nos semelhantes a Cristo. Esta é a obra do Espírito Santo; esta é a coisa pela qual Ele veio. Esta é a gloriosa esperança para nós.
Quanto à cruz _ sim, é igualmente verdade que a atividade do Espírito Santo é constantemente dar testemunho contra aquele homem que foi colocado de lado. Se você e eu somos habitados e governados pelo Espírito Santo, saberemos quando tocamos aquele homem. Saberemos que este é um terreno proibido; saberemos que há um aviso lá: ‗Não ultrapasse _ mantenha-se afastado. ‘ Todo cristão que não sabe, por meio de uma ferroada ou um chute por trás, quando ele ou ela toca o velho homem, está faltando sensibilidade ao Espírito Santo. Mas há outro lado. O Espírito Santo nos mantém do lado positivo, dizendo: ‗Agora este é o caminho, o caminho da vida. Largue o velho caminho _ mantenha-se no caminho da vida!‘ Caro cristão, guarde isto no coração: acabe com aquele velho homem! Não esteja constantemente desenterrando-o e olhando para ele, indo sobre ele e ao redor dele, tentando encontrar algo de bom nele _ isto é, em você mesmo; pois você nunca conseguirá! O veredicto de Deus é que nele ‗não há bem algum‘ (Rm. 7.18); assim, mantenha-se longe deste terreno, e mantenha-se no campo do novo homem. O velho homem foi exposto: certamente você sabe quão mau ele é. Por que ter alguma coisa com ele?
O Espírito Santo veio para nos fazer saber que há um outro terreno sobre o qual devemos viver nossas vidas. Ele veio para levar a termo o efeito da obra da cruz, afastando de lado um, e trazendo o outro: em outras palavras, para fazer caminho para a ressurreição. Você e eu somos agora pelo Espírito Santo chamados para viver no terreno da Sua ressurreição, pela vida da ressurreição. A ressurreição é a grande característica desta dispensação. Essas são duas verdades _ o afastamento de um, a fim de abrir caminho para o outro. E o Espírito Santo veio para trabalhar neste terreno.
Finalmente, tudo isto está reunido no Homem que está na Glória. Ele é a corporificação de todas essas coisas divinas. Ele está instalado lá, longe de quaisquer riscos terrenos, longe de qualquer possibilidade de interferência aqui da terra. Ele está fora de alcance de qualquer toque aqui deste mundo que procurasse alterar as coisas. Ele está bem acima de tudo. E, então, o Espírito Santo vem para continuar tudo isto que está corporificado Nele, e trabalhá-lo em nós e na Igreja.
Isto, então, é a resposta à questão: Por que o Espírito Santo? Para cumprir o significado da encarnação, no que ela se refere ao homem; para cumprir o significado da vida terrena; para cumprir o significado da cruz; para cumprir o significado da ressurreição; para cumprir o significado da ascensão e glorificação do Senhor Jesus. O Espírito Santo absorve todas essas coisas, com o objetivo de realizá-las nos crentes.

O ESPÍRITO SANTO ESTÁ COMETIDO AO SENHOR JESUS

Assim, o Espírito Santo está completamente cometido ao Senhor Jesus. Ele tem um interesse que inclui e abrange todos os demais: Ele está focado com toda a Sua atenção e recursos sobre o Senhor Jesus, a fim de fazê-lo glorioso, e isto nos crentes. Como sabemos, o Senhor Jesus disse: ‗Ele Me glorificará‘ (Jo 16.14). Esta é a Sua obra. Talvez isto seja algo muito familiar para se criar qualquer espécie de barulho, porém, encontro bastante conforto para o meu coração a partir de cada contemplação fresca no fato de que o advento do Espírito Santo foi centralizado e resumido sobre este único assunto: realizar em você e em mim _ isto é, na Igreja _ tudo aquilo que o Senhor Jesus foi e fez na qualidade de Filho do Homem. Isto abre um espaço para confiança em oração, um campo de garantia da esperança. É assim que o Espírito Santo tem governado nesta dispensação.
Este foi o tema principal de nosso Senhor durante aqueles últimos dias com os Seus discípulos. Ele terminou o Seu ministério público, retirou-se das multidões, e, por muitas horas antes do fim, entregou-se a Si mesmo, com atenção concentrada, aos seus discípulos. E, se você olhar para aqueles últimos dias e horas, tão firmemente embalados com esta instrução, este ensino, este abrir do Seu coração, você descobrirá que o seu tema principal durante todo aquele tempo se referia ao dia que estava chegando. ‗Naquele dia…‘, ‗No dia…‘, Ele dizia; e ‗aquele‘ dia era o dia do Espírito Santo. ‗Quando Ele vier…‘; ‗Naquele dia, quando Ele vier…‘ Ele deu a maior importância e valor sobre a vinda do Espírito Santo, porque Ele sabia muito bem que tudo aquilo para o qual Ele tinha vindo, como a encarnação e a vida terrena, e a cruz, ficaria sem qualquer valor caso o Espírito Santo não reproduzisse aquilo orgânica e vitalmente em seu povo.
Ele reuniu aquilo numa declaração muito familiar: ‗se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto. ‘ (Jo. 12.24). Agora, Ele disse isto em resposta a certas pessoas que tinham expressado um desejo de ‗ver Jesus‘ (v.21). Foi uma resposta estranha, misteriosa. ‗É chegada a hora em que o Filho do Homem será glorificado… se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só…‘ Certamente o que Ele queria dizer era: ‗Embora você peça, embora você busque, mesmo com sinceridade, você jamais irá ver o Filho do Homem glorificado, somente se Ele for reproduzido em outra pessoa, como o grão reproduzindo a si mesmo. Aí você Me verá, aí você verá a minha glória‘.
Porque há um senso no qual não se vê o Filho do Homem, o glorioso Filho do Homem, exceto na Igreja, nos crentes. Que pobre exibição fazemos disso! Mas este é o Seu caminho. Digo, Ele gastou aquelas horas e aqueles dias concentrado nisto. ‗Por tudo aquilo que vim a ser e a fazer, a necessidade é de que o Espírito Santo venha. É muito mais importante que Ele venha do que Eu fique. Se Eu ficar, sou como o grão de trigo sozinho; se Eu for, abro espaço para Ele reproduzir‘. Ele ensinou, portanto, que a única maneira de conhecê-Lo, a única maneira de vê-lo, era dessa forma.

A MORTE, O OBSTÁCULO PARA O PROPÓSITO DE DEUS, FOI REMOVIDA

Que efeito deve isto ter sobre nós? Certamente, antes de tudo, deve nos dar um real exercício sobre a questão do Espírito Santo ter o seu lugar legítimo em nós, sem obstrução alguma, estando livre para fazer a Sua obra. Vamos nos lembrar de que Deus, do seu lado, tem se movido para remover a grande obstrução de todos. Quando, na carta aos Hebreus, o Senhor Jesus é apresentado como o Homem instalado no Céu _ ‗Vemos a Jesus, coroado com glória e honra‘ (2.9) _ isto significa que é possível agora para Deus continuar com a Sua obra em relação à humanidade. O plano de Deus está sempre voltado para o homem. ‗Que é o homem, para que te lembres dele? Ou o Filho do Homem, para que o visites?‘ (2.6). Aqui está O Homem a quem os homens devem ser conformados: porém havia uma grande obstrução, um grande obstáculo que tornava aquilo impossível, e este era a morte. A morte estava no caminho. O homem jamais podia chegar àquilo enquanto a sentença de morte repousasse sobre tudo. Pois, quando o homem pecou em seu primeiro pai, a morte, o grande inimigo a todo propósito de Deus, foi passada como uma sentença sobre todos os homens; e assim, ela se põe no caminho. Aquele homem, aquela raça jamais pode chegar lá e ser daquela maneira.
Porém, ‗Vemos …a Jesus, por causa do sofrimento de morte, coroado com glória e honra‘. Ele removeu aquela obstrução, o obstáculo, e a destruiu. ‗para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte‘ (Hb 2.14). Ele ‗experimentou a morte por todos os homens‘ (v.9). Ele removeu o grande obstáculo e o tirou do caminho. Agora podemos alcançar aquela semelhança! Do lado de Deus, o maior obstáculo ao cumprimento do Seu propósito Divino foi removido _ e, se você lidar com o maior, terá lidado com todo o resto _ e assim, o caminho está aberto.
O efeito disso sobre nós, então, deve ser que nos damos conta de que escapamos, e nos mantemos afastados do terreno da morte _ a morte que repousa sobre o velho homem. Isto pode soar misterioso, confuso, porém, de fato isto é muito real, prático. Se você e eu começarmos a ter qualquer envolvimento com nós mesmos, como estarmos em nós mesmos, sabemos que a morte começa a operar. É sempre assim. E o inimigo sabe disso também. Se ele puder colocar em movimento esta ‗roda da natureza‘ (Tg 3.6), fazê-la ficar estimulada e nos fazer ficar envolvidos, ele sabe que nos terá novamente debaixo do poder da morte. O Espírito Santo é o Espírito da Vida, e Ele trabalha nesse sentido, e apenas neste sentido, o terreno da vida. Você e eu, portanto, deveríamos fazer disto o nosso exercício para sempre permanecermos no terreno da vida. Precisamos nos lembrar de que o plano de Deus para nós é vida, não morte. Se nos apegarmos à vida, Deus irá reagir: o Espírito Santo irá se mover. Nós aceitamos a morte muito facilmente. O inimigo está sempre oferecendo morte para nós, de uma forma ou de outra, tentando nos fazer aceitá-la. Se começarmos a brincar com a morte, simplesmente estaremos dando terreno para o Diabo, e ele irá arruinar tudo. É contra o Espírito Santo. Que o Senhor nos ensine o que isto significa.
O Espírito Santo, então, está comprometido com o Cristo ressuscitado, para a realização de tudo o que a Sua vida ressurreta significa, visando no final a glorificação.

A PRESENTE DISCIPLINA LIGADA AO GOVERNO FUTURO

Há em Cristo um propósito muito completo em relação ao homem, um propósito muito completo de fato. Dissemos alguma coisa a esse respeito, a partir de Hebreus, em seu último capítulo. ‗E o constituíste sobre as obras das tuas mãos‘; ‗Todas as coisas lhe sujeitaste debaixo dos pés.‘ (Hb 2.8). ‗Porque não foi aos anjos que sujeitou o mundo futuro, de que falamos.‘ (Hb 2.5). Este este é um tremendo chamado, uma tremenda vocação: nada menos do que governar este mundo, em união com Cristo, na época vindoura. Você diz: ‗Esta é uma idéia maravilhosa, uma linda concepção _ porém, qual é o valor de concepções e idéias maravilhosas que estão distantes nos séculos vindouros?‘ Após esta maravilhosa apresentação que vimos em Cristo, e do homem em relação a Cristo, e de sua associação e participação no governo do mundo vindouro, há duas coisas que resultam desta carta aos hebreus.
Uma é que, em relação a este propósito, Deus está fazendo algo nos crentes agora. Você se lembra de Hebreus 12? ‗tivemos nossos pais segundo a carne, para nos corrigirem, e nós os reverenciamos; não nos sujeitaremos muito mais ao Pai dos espíritos, para vivermos?‘ (vv. 9). A carta toda realmente leva a isto. Com o capítulo 12 o escritor se aproxima do final da sua mensagem; ele está resumindo. Do que se trata tudo isto? ‗Por isso, irmãos santos, participantes da vocação celestial…‘ (3.1). O governo do mundo vindouro em união com Cristo _ esta é a nossa chamada. Porém, temos que ser preparados para isto; e o que está nos acontecendo agora, em nossa vida espiritual, é o nosso treinamento para isto, e é muito prático.
Se há uma coisa que você e eu descobrimos que precisamos aprender, é como obter ascensão de espírito. Por que o Senhor permite todas essas coisas _ essas coisas adversas, penosas? Por que ele não as impede? É para que possamos aprender ascendência de espírito: porque este governo não é oficial _ é um governo espiritual. O real governo deste mundo é espiritual. Por trás dos homens e de tudo o que está acontecendo há um sistema espiritual em ação. É algo diabólico. Deus irá varrer isto do universo e colocar algo bom em seu lugar. Irá ser um governo espiritual, celestial, e, quando houver um cenário celestial neste mundo, que diferente tipo de mundo será. Deus irá tornar este mundo um lugar saudável, colocando sobre ele um governo espiritual salutar, e este governo será colocado nas mãos dos santos.
Porém, com isto em vista, teremos que passar por um exaustivo ensino nas mãos do Pai dos espíritos. Tudo visando esta questão de obter ascendência espiritual. Cada dia temos algo para galgar, espiritualmente; algo que deve ser colocado em sujeição sob os nossos pés. Muito freqüentemente as coisas alcançam o topo e põe os pés sobre nós. A fim de trazê-las em sujeição, temos que cooperar com o Senhor, e o nosso treino é, assim, para que possamos aprender a trazer as coisas sob os nossos pés. O Espírito Santo está aqui para isto. Todas aquelas palavras sobre sermos ‗fortalecidos com poder através do seu Espírito no homem interior‘ (Ef 3.16), ‗fortalecei-vos na força do Senhor‘ (Ef 6.10; 1 Pd 4.11) _ todas essas palavras têm a ver com o assunto de ganhar ascendência espiritual, chegar no topo.

NECESSIDADE DE ENCORAJAMENTO E CONSELHO

A outra coisa que advém desta carta aos Hebreus é aquela nota constantemente tocada de exortação, de encorajamento. ‗Vamos em frente…‘ Há muita exortação e súplica. Por quê? Por causa deste alto chamado, por causa desta grande vocação, por causa deste propósito em nossa nova criação e união com o Filho de Deus. É nossa herança _ o mundo vindouro e o governo dele. Precisamos de muito encorajamento, precisamos de muita exortação, precisamos de conselho constante; trata-se de algo muito grande. Creio que é isto a que o escritor se refere quando diz: ‗Como escaparemos nós se negligenciarmos tamanha salvação?‘ (Hb 2.3). A ‗grande salvação‘ não é apenas escapar do inferno e de alguma forma arranhar o céu _ é tudo isto que está nesta carta: ‗Companheiros num chamado celestial‘.
O Espírito Santo veio para o propósito de efetivar isso. Talvez os nomes pelos quais o Senhor Jesus o chamou não nos impressione muito: por exemplo, quando Ele o chama, em nossa língua, de ‗o Consolador‘. Naturalmente, isto é muito bom: precisamos de consolo; mas isto é apenas uma parte do significado do Seu Nome. Seu nome completo é: ‗Aquele chamado ao lado‘, co-operando conosco; ‗o Encorajador‘, ‗o Advogado‘. Ele veio para estar ao nosso lado _ para ser o nosso Ajudador e Encorajador nesta grande obra de se conformar ao Filho de Deus e realização da vocação eterna nos séculos vindouros.

Por Theodore Austin-Sparks

Leia mais: http://www.palavrasdoevangelho.com/products/o-advento-do-espirito-santo-ele-veio-para-fazer-estas-coisas-reais-nos-crentes-/