Monthly Archives: setembro 2014

UMA CEIA PRA JESUS

Fizeram-lhe, pois, ali uma ceia, e Marta servia, e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. Então Maria, tomando um arrátel de ungüento de nardo puro, de muito preço, ungiu os pés do Senhor Jesus

(João 12:2-3).

UMA CEIA PRA JESUS

Que família maravilhosa! João nos diz que o Senhor Jesus amava Marta, Maria e Lázaro. Quando este ficou doente, suas irmãs mandaram a seguinte mensagem para o Senhor Jesus: “Senhor, eis que está enfermo aquele que tu amas” (11:3). O Senhor ressuscitou a Lázaro dentre os mortos e, portanto, fizeram uma ceia para Ele.

O Senhor fez algo assim por você? Ele ressuscitou alguém de sua família da morte espiritual, que é pior que a morte física? Se sim, você quer fazer uma ceia para Ele? Ele gosta de habitar no meio de Seu povo, e o verdadeiro lar cristão é um lugar onde o Senhor deseja que Sua presença seja sentida.

Mas vejamos o que cada membro dessa família estava fazendo:

1. Marta servia. Apenas duas palavras. Nada de preguiça! Cristo prometeu que se alguém O servisse, o Pai o honraria.

2. Lázaro estava à mesa com Ele. Que privilégio! Em Apocalipse 3:20, o Senhor promete: “Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo”. Que cada um de nós tenha a experiência semelhante de sentar-se à mesa do Rei e cear com Ele!

3. E Maria? Que lição aprendemos com ela! Maria adorava. Ela derramou aos pés do Senhor Jesus sua alma, seu coração, seu tesouro e sua dignidade.

De novo exclamamos: que família! “Foi, pois, Jesus seis dias antes da páscoa a Betânia”. E de Betânia, Ele foi para a cruz, e da cruz, para o céu. Que nossas casas possam ser uma Betânia. Que a presença do Senhor seja cultivada em nossa família, e que haja muitas ceias para o Senhor Jesus em nossas casas antes do momento de cearmos com Ele na casa do Pai.

VERDADES SIMPLES E PROFUNDAS

Um de seus discípulos, aquele a quem Jesus amava, estava reclinado no seio de Jesus

(João 13:23).

VERDADES SIMPLES E PROFUNDAS

Ao apóstolo João foi dada a revelação de muitas verdades preciosas que são fonte inesgotável de alegria e refrigério espiritual para todo verdadeiro crente no Senhor Jesus. Tais verdades, embora simples e de fácil entendimento, são profundas revelações. Entre elas estão o grande amor do Pai, e a intimidade que podemos desfrutar com o Senhor Jesus e com Deus Pai.

Que exemplo João é. Apesar de ser o portador de tamanhos tesouros, ele não se vangloriou nem exaltou por ter recebido tais preciosidades do Espírito Santo. Pelo menos por quatro vezes, ele simplesmente se identifica como o discípulo a quem Jesus amava (João 13:23; 19:26; 20:2; 21:7). Para João bastava se alegrar no fato de Cristo amá-lo.

Mesmo sendo uma grande alegria saber que somos chamados e usados por Deus, e todos os filhos de Deus o são, não temos de permitir que os dons e a vocação de Deus sejam motivo de orgulho para nós, e nem que ocupem tanto nosso tempo e coração a ponto de perdermos de vista o incalculável amor de Cristo por nós.

Cristo nos amou tanto que enquanto éramos Seus inimigos, Ele morreu por mim e por você, para nos reconciliar com Deus (Romanos 5:10). E este amor se desdobra em tão diversas facetas que passaremos a eternidade admirados, adorando ao Deus que nos amou, pois “nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados” (1 João 4:10).

O SERVO DE DEUS EM ISAÍAS 42:1-3

Eis aqui o meu servo, a quem sustenho, o meu eleito, em quem se apraz a minha alma

(Isaías 42:1).

O SERVO DE DEUS EM ISAÍAS 42:1-3

Estes versículos falam profeticamente do Senhor Jesus, que viveu no mundo como ser humano e verdadeiro servo de Deus. Neles se destacam três características desse perfeito servo.

“Pus o meu espírito sobre ele” (v. 1). Assim fala Deus, a quem Cristo serviu com toda abnegação. No primeiro capítulo de Marcos está o cumprimento dessa profecia. Depois do batismo do Senhor Jesus no Jordão, João Batista “viu os céus abertos, e o Espírito, que como pomba descia sobre ele? E logo o Espírito o impeliu para o deserto” (Marcos 1:10-12). Em virtude desse Espírito e sob Sua direção, o Senhor Jesus cumpriu Sua obra em meio ao povo de Israel.

“Não clamará, não se exaltará, nem fará ouvir a sua voz na praça” (v. 2). O humilde servo de Deus jamais buscou a fama. Embora desejasse o melhor para Seus semelhantes e estivesse à disposição dos demais, nunca procurou se impor.

“A cana trilhada não quebrará, nem apagará o pavio que fumega” (v. 3). Agia mansamente com aqueles que O procuraram. Com grande ternura se ocupava dos cansados e sobrecarregados, daqueles cujos pecados os atormentavam. Quando percebia que a fé de alguém era tão débil como um pavio que fumega, não a apagava, mas a estimulava.

Em nosso serviço para Deus, sejamos imitadores do Senhor Jesus e andemos em Suas pegadas. Como? Tomando com humildade o último lugar, buscando fortalecer “as mãos fracas” e firmar “os joelhos trementes” (Isaías 35:3).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 2 REIS

Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores

(1 Timóteo 6:10).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 2 REIS (Leia 2 Reis 15-27)

A primeira coisa que Naamã fez depois de sua cura foi voltar e agradecer ao instrumento que a tornou possível. Isso nos lembra um dos dez leprosos que foram limpos pelo Senhor, o qual “vendo que fora curado, voltou, dando glória a Deus em alta voz” (Lucas 17:15). E o mais notável disso é que ele também era estrangeiro.

Naamã aprendeu que a salvação é absolutamente gratuita. Muitos jamais conseguiram aceitar esse fato. Isso se torna mais compreensível quando se vê uma classe de clérigos recebendo favores pessoais em troca de perdão de pecados: “sórdida ganância” (1 Timóteo 3:8; Tito 1:7; 1 Pedro 5:2). Geazi nos faz pensar sobre isso. A conduta dele, tão influenciada pelo amor ao dinheiro, prejudicou a compreensão de Naamã sobre o dom gratuito de Deus. O coração do homem de Deus, tão preocupado com o “novo convertido”, assistiu à cena tempo todo. O ato desonesto é exposto, e o cobiçoso Geazi recebe uma terrível punição (Atos 5:1-11). “Era isto ocasião para tomares prata e para tomares vestes, olivais e vinhas, ovelhas e bois, servos e servas?”, pergunta Eliseu, cuja fortuna pessoal era seu manto profético. Que pergunta séria! Como discípulos de um Mestre que se tornou pobre, nós, às vésperas de Seu retorno, não temos tempo para desperdiçar tentando amealhar fortunas neste mundo (Tiago 5:3; Ageu 1:6-7).

DEUS SABE TUDO SOBRE NÓS

E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais, pois

(Mateus 10:30-31).

DEUS SABE TUDO SOBRE NÓS

Que palavra! Tudo o que lhe acontece, inclusive o número de cabelos que você tem, é do conhecimento de Deus. Nada acontece por acaso ou acidente. A queda de uma folha, a morte de um pardal, a aniquilação do mundo ? tudo é percebido por Ele. Os homens classificam as coisas em “grandes” e “pequenas”, mas Deus não faz tal distinção.

E como é lindo perceber o amoroso cuidado com o qual Deus se refere aos Seus filhos! Cada alegria, dor, momentos fáceis e difíceis, nada passa despercebido. O que podemos considerar erros e fracassos, situações que preferiríamos esquecer, até isso pode ser usado por Deus para Sua glória e nossa alegria.

Como você olha para o futuro? Você vê tantas incertezas e mistérios que se sente oprimido? Confie nEle ? “O caminho de Deus é perfeito; a palavra do Senhor é provada; é um escudo para todos os que nele confiam” (Salmo 18:30). Nenhum fio de seu cabelo será desnecessariamente tocado. Deus nos guia, às vezes por caminhos sombrios, às vezes por caminhos dolorosos, e frequentemente por trilhas que jamais escolheríamos; mas o “caminho de Deus é perfeito”, e sempre há amor neles.

O próprio Senhor Jesus trilhou o caminho mais tenebroso de todos, por causa de Seu indescritível amor. E Ele não irá impor sobre nós qualquer fardo que nos possamos carregar, e nem exigir nenhum sacrifício por capricho.

ANTES E AGORA

Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho

(Hebreus 1:1).

ANTES E AGORA

O Espírito de Deus diferencia entre o modo que Deus falou ou agiu no passado e agora. Antes da vinda do Filho, Deus falava através de outras pessoas. O povo de então recebia tais palavras de Deus por meio de profetas; mas agora já tivemos a manifestação do próprio Deus. O Filho de Deus veio em forma humana até nós.

Antes da vinda do filho, o nome de Deus era exaltado. Ele se apresentou a Abraão como o Senhor todo-poderoso, dizendo para que confiasse em Seu poder. Tempos depois, Ele se apresentou a Nabucodonosor como o Altíssimo Deus, elevado muito acima dos deuses de todas as nações. E há vários outros títulos que o Senhor usou para se apresentar à humanidade, todos gloriosos, sem dúvida. Mas nosso Senhor, a Palavra, magnificou a Si mesmo sobre todas as coisas.

A Palavra é a revelação de Si mesmo em todos os aspectos. Deus fala por Cristo. Tudo o que Cristo fez foi manifestação de Deus. Quem poderia curar o leproso a não ser Deus (Marcos 1:40)? Ou um cego de nascença? (João 9:7) Quem poderia ressuscitar um morto (João 11:43)?

E agora temos uma responsabilidade. O Senhor Jesus disse: “Porque lhes dei as palavras que tu me deste” (João 17:8). Ele nos deu Suas palavras para sermos vasos de Seu testemunho. E as “palavras que eu vos disse são espírito e vida” (João 6:63).