Monthly Archives: setembro 2013

LIBERTOS PARA EDIFICAR

Domingo 22 Setembro

Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens

(Efésios 4:8).

LIBERTOS PARA EDIFICAR

Por Sua morte, o Senhor Jesus iria destruir “o que tinha o império da morte, isto é, o diabo” (Hebreus 2:14). Deus O ressuscitou dos mortos, e o ascendeu como Vitorioso. Todos os que Lhe pertencem não apenas estão livres da escravidão do diabo; o próprio inimigo é reduzido a nada. Todo o sistema de escravidão baseado no medo da morte foi aniquilado. Portanto, o evangelho, a mensagem da salvação, pode ser pregado a todos.

Porém, a vitória se estendeu muito além disso: a ascensão do Senhor glorificado abriu as comportas celestiais das bênçãos. Dons foram concedidos aos humanos. Esse é um dos resultados da associação dos crentes com Cristo, a Cabeça no céu. Deus sempre agiu por meio dos homens de acordo com Sua boa vontade. Mas agora a operação do Espírito Santo através de dons assumiu uma forma definida.

“E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo” (Efésios 4:11-12). Os apóstolos e profetas dos primeiros tempos, quando a fundação do edifício celestial foi lançada, foram bastante eficientes no trabalho designado para eles. E o Novo Testamento é prova disso.

Evangelistas, pastores e mestres completam a obra. Eles têm um grande campo de atuação, mas o serviço de todos é direcionado para um único alvo: a perfeição dos santos e a edificação do corpo.

Se você já foi liberto do sistema do diabo pela fé na obra do Senhor Jesus, então você recebeu dons para edificar Seu Corpo neste mundo. O que você tem feito com eles?

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 1 REIS (Leia 1 Reis 4:20-34)

Sábado 21 Setembro

Ó SENHOR, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome sobre toda a terra!

(Salmo 8:9).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 1 REIS (Leia 1 Reis 4:20-34)

Observe a conexão entre os versículos 20 e 29. O povo e o coração do rei tinham algo em comum: eram como a areia que está na praia. Em outras palavras, Deus deu ao Seu ungido um coração grande o suficiente para abarcar e amar toda aquela grande nação pela qual ele era responsável. Da mesma maneira, o coração do Senhor é grande o suficiente para envolver todos os que Lhe pertencem, e a multidão deles não O sobrecarrega. Querido filho de Deus, Ele o ama como se você um fosse o único redimido do planeta. Jamais chegaremos a conhecer e a compreender totalmente o “amor de Cristo, que excede todo entendimento” (Efésios 3:18-19).

Essa fascinante representação do reino milenar de Cristo evoca o descanso de que toda a criação finalmente desfrutará, após ter gemido por tanto tempo sob “o cativeiro da corrupção” (Romanos 8:19-22). Salomão falou sobre as feras, os pássaros, os répteis e os peixes. Cristo, o “Filho do Homem”, de acordo com o Salmo 8, coroado “de glória e de honra”, exercerá o senhorio sobre todas as obras das mãos de Deus: “Ovelhas e bois, todos, e também os animais do campo; as aves do céu, e os peixes do mar, e tudo o que percorre as sendas dos mares. Ó SENHOR, Senhor nosso, quão magnífico em toda a terra é o teu nome!” (Salmo 8: 5-9).

“INSENSATO!”

Sexta-feira 20 Setembro

Certamente ele escarnecerá dos escarnecedores, mas dará graça aos mansos

(Provérbios 3:34).

‘INSENSATO!”

Um médico incrédulo costumava zombar da Bíblia, em especial da doutrina da ressurreição, fundamento da fé cristã. Certo dia estava folheando a Bíblia a fim de encontrar material para seus ataques.

Ele marcou o versículo 35 do capítulo 15 de 1 Coríntios: “Mas alguém dirá: Como ressuscitarão os mortos? E com que corpo virão?”. Ele imaginou que acharia munição para futuras zombarias, das quais ele e seus amigos poderiam rir. Ele estava prestes a dizer algo quando seus olhos se voltaram para o versículo seguinte: “Insensato! O que tu semeias não é vivificado, se primeiro não morrer”.

A palavra “insensato” atravessou sua consciência como uma flecha atirada do arco de Deus. Assim como Saulo de Tarso se tornou o apóstolo Paulo, assim esse incrédulo médico e escarnecedor se tornou um pregador da graça de Deus. Ele experimentou o novo nascimento por meio do Espírito Santo e do poder da Palavra de Deus, se transformando em um servo fiel do mesmo Senhor que antes desprezava. Ele jamais esqueceria como era “insensato” e como Deus abrira seus olhos para ver Jesus, Redentor e Senhor ressurreto.

Salomão reconheceu que o “temor do Senhor é o princípio do conhecimento; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução” (Provérbios 1:7). Quantos loucos existem hoje! Quantos desprezam a Deus, preferindo a sabedoria deste mundo que é “loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia. E outra vez: O Senhor conhece os pensamentos dos sábios, que são vãos” (1 Coríntios 3:19-20).

A VOZ DETERMINA O CAMINHO

Quinta-feira 19 Setembro

E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda

(Isaías 30:21).

A VOZ DETERMINA O CAMINHO

Todos os que conhecem o Senhor Jesus como Salvador estão andando no caminho da fé. O alvo é claro: alcançar a glória com Aquele que nos redimiu. E quão breve estaremos com o Senhor Jesus na casa do Pai!

Mas enquanto estivermos neste mundo corremos o risco de nos desviarmos do bom caminho. O versículo acima deixa isso claro e enfatiza a voz que fala atrás de nós. Essa é a prova cabal de que estamos no caminho errado, pois no caminho certo, o Senhor vai à nossa frente, nos liderando. Mas Sua voz está presente para ser ouvida. E Ele quer que O ouçamos.

Ainda que o Senhor não possa ir adiante de nós no caminho mau, Ele não permitirá que nos desviemos sem uma advertência. Quer viremos para a direita, ou seja, para o caminho da tradição e do legalismo, indo além do ensino das Escrituras; ou para esquerda, isto é, para trilhas mais liberais, nas quais obedecemos a Palavra de Deus apenas quando nos é conveniente, Ele irá mostrar Seu interesse por nós até o fim.

Ele tem um caminho para nós: “Este é o caminho, andai nele”. Não temos de decidir por nós mesmos, nem precisamos perguntar onde pode ser encontrado. Todas as instruções da Palavra de Deus nos indicam. E Deus constantemente chama nossa atenção para ele. Nesse caminho encontraremos descanso para nossa alma e teremos a concordância do Senhor.

Você tem ouvido a voz do Senhor na sua frente ou atrás de você?

DE LONGO ALCANCE

Quarta-feira 18 Setembro

Mas toda a multidão clamou a uma, dizendo: Fora daqui com este, e solta-nos Barrabás

(Lucas 23:18).

DE LONGO ALCANCE

Durante nossa vida tomamos decisões cujas consequências são de longo alcance. Elas podem terminar em felicidade, desgraça, prosperidade, falência, vida ou morte.

Quando Jesus Cristo, o Filho de Deus estava sendo interrogado pelo governador romano, uma multidão se reuniu, sedenta por novidades. Pilatos ficou convencido de que Cristo era inocente. Até mesmo o rei Herodes não estabeleceu nenhuma medida de culpa a Ele. O próprio Deus fez questão de deixar registrado no Novo Testamento sete testemunhos da inocência de Seu Filho.

Mas o ódio e a inveja dos líderes da nação, os sacerdotes e escribas, eram tão grandes que contrataram falsas testemunhas para fazer acusações infundadas e agitar a multidão de todas as formas possíveis.

A multidão se uniu: “Fora daqui com este”. O Senhor, que só havia demonstrado amor, iria ser crucificado. O verdadeiro Filho de Deus e do Pai iria ser morto, ao mesmo tempo em que um homem, cujo nome significa ‘filho do pai’, seria perdoado. Este era um assassino e merecia a morte. Que decisão importantíssima!

Cada pessoa que nasce neste mundo tem de fazer esta mesma escolha: Jesus Cristo ou qualquer outro? O Filho de Deus e a vida eterna ou qualquer outro e a condenação eterna?

Nem pense que há segundas nem terceiras opções. E o alcance das consequências desta decisão ultrapassa toda a imaginação humana!

PERDÃO PATERNAL E JUDICIAL

Terça-feira 17 Setembro

Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça

(1 João 1:9).

PERDÃO PATERNAL E JUDICIAL

O convite do Senhor Jesus: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28) é para todos. Todos, sem exceção, são responsáveis diante de Deus pela própria culpa de viver de maneira independente, sem considerar a vontade dEle. Quem reconhece esse fato e confessa sua culpa pode reivindicar a promessa: “O que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora” (João 6:37). Sobre esse fundamento, Deus perdoa o pecado. Chamamos esse processo de perdão judicial de Deus, e quem passa por ele é declarado livre do castigo eterno e não precisa mais ter medo de Deus como Juiz.

Esse perdão acontece uma vez por todas e inclui todos os pecados. Sua base é o efeito expiatório do sangue de Cristo vertido no Calvário. Há dois mil anos, não estávamos vivos e nem tínhamos cometido qualquer pecado. No entanto, a Palavra de Deus afirma: “E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo” (1 João 2:2).

O lamentável é que os filhos de Deus ainda cometem pecados. Mas também estes já foram expiados e não nos sentenciam à condenação. Porém, o relacionamento com o Pai celestial fica truncado. O versículo de hoje é uma palavra para os que crêem. Se confessarmos nossos pecados a Deus, receberemos Seu perdão paternal. Deus concede Seu perdão a nós como filhos e restaura nosso relacionamento com Ele. Precisamos desse perdão diariamente, e diariamente o Pai está disposto a nos concedê-lo!