Monthly Archives: setembro 2013

“POBRES ÓRFÃOS!”

Sexta-feira 27 Setembro

Responde ao tolo segundo a sua estultícia; para que também não seja sábio aos seus próprios olhos

(Provérbios 26:5).

“POBRES ÓRFÃOS!”

Dois jovens encontraram um evangelista durante uma viagem. Com uma expressão triste no rosto, eles se aproximaram e perguntaram: “Você já sabe da última notícia?”. O evangelista respondeu, já preocupado: “Não, o que aconteceu?”. “O diabo morreu”, replicaram, gargalhando.

O evangelista olhou para os jovens, e respondeu com um tom bem sério: “Ah, pobres órfãos! O Senhor Jesus disse certa vez aos Seus oponentes: ‘Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai’ (João 8:44)’”.

Os incrédulos zombam de tudo, ou pelo menos aparentam isso. Algumas vezes é apenas para encobrir suas inseguranças. Fazem piada de Deus e do diabo, desperdiçam sua vida e afastam da mente a ideia da morte e da eternidade. Escarnecem da realidade da ressurreição, ou a substituem por reencarnação ou qualquer outro conceito semelhante. Recusam-se a crer na vida após a morte. Acreditam no que veem e no que conseguem entender racionalmente. A Bíblia os chama de “nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas; ondas impetuosas do mar, que escumam as suas mesmas abominações; estrelas errantes, para os quais está eternamente reservada a negrura das trevas (Judas 12-13).

Se você gosta de zombar de tudo e de todos, preste atenção no que o apóstolo Paulo afirma: “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6:7).

SUFICIENTE OU NÃO?

Quinta-feira 26 Setembro

Jesus nosso Senhor… o qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificação.

Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo

(Romanos 4:24-25; 5:1).

SUFICIENTE OU NÃO?

No que diz respeito à restauração do relacionamento entre os homens e Deus, será que o sacrifício de Cristo foi suficiente ou não?

Se foi suficiente, e Deus já está satisfeito, por que tantos cristãos ainda se sentem temerosos ou ansiosos?

Todos os que têm duvidas concernentes ao pleno perdão necessitam compreender o significado da perfeição do sacrifício expiatório de Cristo. Eles geralmente estão tão ocupados com seus próprios sentimentos e conceitos que não conseguem descansar nas promessas da Palavra de Deus. Eles analisam a própria vida ao invés de olharem para Cristo. Isso lhes rouba a paz de espírito. Somente, apenas, unicamente o Senhor Jesus, e não a profundidade de nosso arrependimento ou a força de nossa fé, é quem pode nos dar a paz duradoura. A memória de Deus é melhor que a nossa. Se a obra de Cristo se aplica somente aos pecados dos quais temos conhecimento, deveríamos ser condenados mil vezes. Porém, na cruz foi realizada uma plena redenção, tanto dos pecados que nos envergonhamos quanto daqueles que nem sabemos que cometemos.

Enquanto a culpa pesar na consciência de um crente, a felicidade lhe faltará e a verdadeira adoração também, pois ambas fluem de um coração cheio de paz e confiança em Deus. Da mesma maneira, nosso serviço e testemunho só é efetivo diante dos outros, quando temos tranqüilidade de estar face a face com Cristo.

Extremistas muçulmanos recebem 98 reais por cada cristão morto

Quanto vale a vida de um cristão? Na Nigéria, muçulmanos pagam aos membros do Boko Haram, em média, 7. 000 nairas por cada cristão morto. Quantia que equivale a 98 reais no câmbio atual. O grupo cristão Jubilee Campaign têm feito graves denúncias sobre isso ao governo nigeriano, Mas o próprio presidente admitiu que não consegue controlar o exército do Boko Haram, o qual é sustentado e equipado pela Al-Qaeda. Seu desejo manifesto é estabelecer um Estado Islâmico, governado pela sharia, em um país onde quase 50% da população professa a fé cristã.

A região norte hoje é quase totalmente controlada pelos extremistas e onde ocorre a maioria dos assassinatos e ataques a igrejas. Embora recentemente a atenção da mídia esteja voltada para o massacre de cristãos na Síria, os números são imprecisos. A rede de TV muçulmana Al Jazeera entrevistou recentemente Ibrahim Mohammed, um soldado do Boko Haram que está preso. Ele foi enfático: “Nós escolhemos pegar em armas contra as pessoas que não querem a sharia.

Deus me pediu que lutássemos [contra elas]”. O repórter questionou sobre os outros muçulmanos e as crianças que acabaram mortas durante os ataques. “Quem morre sendo inocente, não tem com o que se preocupar. Além disso, nós somos perdoados por Deus, pois é uma guerra santa [jihad]“. Massimo Introvigne, coordenador do Observatório da Liberdade Religiosa na Itália chamou atenção do mundo para essa situação no final do ano passado. “Estima-se que em 2012 morreram 105 mil cristãos por motivos religioso.

Ou seja, um morto a cada 5 minutos”, disse. Professor de sociologia e pesquisador do Vaticano, Introvigne explica que são tanto evangélicos, quanto católicos, ortodoxos e coptas. Para ele, as áreas de maior risco são as que possuem grupos muçulmanos jihadistas, que desejam implantar as leis islâmicas. “As zonas de risco são muitas, mas podemos identificar basicamente três países onde é consequência do fundamentalismo islâmico: Nigéria, Somália, Mali”, disse.

O direito de praticar livremente a própria religião é um dos direitos fundamentais, reconhecido no artigo 18 da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Reconhecidamente é impossível uma estimativa precisa do martírio. Contudo, a ONG World Watch Monitor, que luta pelos direitos humanos, afirma que metade das pessoas mortas por motivos religiosos este ano viviam na Nigéria. Com informações de Jubile e Campaign, Christianity Today e AINA

DESTRUIÇÃO E RESTAURAÇÃO

Quarta-feira 25 Setembro

A fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.

Porque também a nós foram pregadas as boas novas

(Romanos 10:17; Hebreus 4:2).

DESTRUIÇÃO E RESTAURAÇÃO

O relacionamento do homem com Deus, seu Criador, foi abruptamente destruído por causa do pecado. Como consequência, tudo foi destruído também: a paz, a alegria, a tranquilidade na alma. E o homem não pode fazer nada para alterar tal situação.

No entanto, Deus deseja mostrar graça à humanidade. Ele nos deu Seu amado Filho, Jesus Cristo, como Mediador pelo qual podemos recuperar o que perdemos. Na cruz Cristo padeceu por nossos pecados, morrendo em lugar dos pecadores. Por meio dEle agora existe um “novo e vivo caminho” (Hebreus 10:20) que nos arranca de nossa condição miserável, em que falta paz, satisfação e vida.

Essa é a mensagem que Deus enviou a nós: o evangelho da Sua graça, o qual procede diretamente de Seu coração. O tema central é uma Pessoa: o Senhor Jesus Cristo e Sua obra de redenção, cujos benefícios podem ser desfrutados por todos os que creem nEle. O conteúdo dessa mensagem é claro e de fácil entendimento. Está registrado na Bíblia, a Palavra de Deus. Para todos os que recebem com fé essa mensagem, ela prova ser o poder de Deus, trazendo salvação e vida eterna (Romanos 1:1-4, 16).

Você anseia por paz? Então leia a Bíblia. A Palavra de Deus responde aos maiores problemas do coração humano. Ela nos diz quem Deus é e também quem nós somos. Ela nos conduz ao Deus salvador, “que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade” (1 Timóteo 2:4).

A ATITUDE DE CRISTO

Terça-feira 24 Setembro

Haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus

(Filipenses 2:5).

A ATITUDE DE CRISTO

A atitude do Senhor Jesus quando viveu neste mundo era marcada por duas características principais: humildade e obediência. Por meio de Sua encarnação, Ele voluntariamente se tornou sujeito às limitações da vida humana. Além disso, Ele não almejava nenhuma alta posição política. Não era rico, nem pertencia à elite religiosa de Israel. Seu desejo era ser servo de todos. Ele jamais buscou Seus próprios interesses ou necessidades, mas somente os dos outros. Ele ocupou o lugar mais humilhante, a cruz, onde morreu por nós.

Não apenas Sua humildade era vista incessantemente, mas também a obediência. O Senhor Jesus Se tornou Homem porque essa foi a vontade do Pai. Não houve nada que Ele fizesse sem antes ter buscado a vontade de Deus e Sua aprovação. Esse caminho de obediência O conduziu ao Calvário, à cruz e à morte.

Somos chamados a manifestar a atitude de Cristo em nossa vida diária. Nenhum de nós está em posição de imitar a maneira como Ele viveu. Mas podemos demonstrar humildade e obediência. Isso não está de acordo com nossa natureza, mas podemos olhar o Senhor Jesus, nosso supremo exemplo. Contemplar Sua conduta e comportamento irá nos fazer sentir toda a nossa pequenez, banir nosso orgulho, e desejar ardentemente obedecê-Lo com alegria e amor.

PROVE SE PUDER!

Segunda-feira 23 Setembro

É necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e é galardoador dos que o buscam

(Hebreus 11:6).

PROVE SE PUDER!

Infelizmente, é bastante comum que pais e filhos nem sempre tenham o mesmo ponto de vista; mas esperamos que a seguinte situação seja pura conjectura: imagine uma criança que jamais experimentou o amor de seus pais. Um dia ela lhes pergunta: “Vocês são realmente meus pais? Vocês dizem que são, mas não conseguem provar”.

Os pais procuram e apresentam a certidão de nascimento, a qual registra os detalhes necessários. A criança diz: “Isso não é prova. Vocês podem ter me adotado no hospital. Aqui diz que vocês têm um filho, mas ainda não sei se sou eu!”.

Será que um exame definitivo como o de DNA mudaria alguma coisa no relacionamento da criança com seus pais? Absolutamente não! O que faltava era amor e confiança. Sem a confiança mútua, sem respeito e amor nada poderia alterar a convivência deles.

Há pessoas que afirmam: “Se Deus me desse uma prova de que Ele existe, eu creria nEle totalmente”. Porém, onde não existe confiança nenhuma prova tem valor.

Quando não há confiança em Deus, não é porque Deus falhou em mostrar Seu amor pela humanidade. O relacionamento de confiança em Deus foi quebrado pelo homem por causa do pecado. Deus, por outro lado, provou e prova Seu amor de infinitas maneiras. Em especial, quando Seu Filho, Jesus Cristo, morreu na cruz por nossos pecados com o objetivo de estabelecer um “novo e vivo caminho” (Hebreus 10:20) para nos relacionarmos com o Pai.