As Obras de Deus:

\"Os céus declaram a glória de Deus\" (Sl 19:1, NVI) Rádio a Voz do Evangelho

Ele nos ouve e nos responde:

Inclina, SENHOR, os teus ouvidos, e ouve-me, porque estou necessitado e aflito. Salmos 86:1

Somente o Senhor Jesus pode nos garantir Vida Eterna!

”E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.”

As moradas de Deus:

Como é agradável o lugar da tua habitação, Senhor dos Exércitos! Salmos 84:1

 

“VENHO”

Então disse: Eis aqui venho; no rolo do livro de mim está escrito. Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração

(Salmo 40:7-8).

“VENHO”

No Salmo 40 vemos a disposição do Filho de Deus, que declarou na glória: “Venho”. Queria executar o plano de Deus, tornando-se homem e como tal honrar a Deus mediante uma obediência perfeita.

Em Sua vida neste mundo, o Senhor Jesus fez somente o que agradava a Deus. Sua “comida” era fazer a vontade divina. Essa vontade também incluía morrer na cruz do Gólgota, e o Senhor Jesus estava disposto a enfrentá-la. Foi obediente até a morte de cruz.

Pouco antes da cruz, orou como Filho ao Pai (João 17). Nesse momento Ele via a Si mesmo como se já houvesse cumprido a perfeita obra da salvação, de modo que falou: “Eu glorifiquei-te na terra, tendo consumado a obra que me deste a fazer” (v. 4). Por isso acrescentou: “Eu vou para ti” (v. 11). Ele voltou para o Pai e agora ocupa a mais suprema posição “à destra de Deus” (1 Pedro 3:22).

Mas o Senhor também pronunciou outro “venho”, que encontramos na última página da Bíblia, como uma promessa para todos os que Lhe pertencem. “Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho” ? cedo, segundo o tempo divino. Ele virá para buscar os Seus a fim de levá-los para a glória. E por isso o Espírito Santo, a Noiva, ou seja, os redimidos clamam: “Ora vem, Senhor Jesus” (Apocalipse 22:17-20).

O REFÚGIO DA MENTIRA

Jesus, que nos livra da ira futura

(Isaías 28:17; 1 Tessalonicenses 1:10).

O REFÚGIO DA MENTIRA

O mundo, apesar de tantos motivos de perturbação e ansiedade, se recusa a considerar as advertências de Deus, que por meio de Sua Palavra anuncia o “juízo”. Embora as alegrias sejam passageiras e haja tanta dor ao redor, a maioria dos seres humanos pensa que têm de aproveitar ao máximo o momento presente, e que o futuro “a Deus pertence”, portanto, não têm de se preocupar com o que virá.

Nosso objetivo não é ofender nem assustar ninguém, mas ficarmos calados e permitir que nossos contemporâneos continuem pensando que podem viver da maneira que quiserem, sem conhecer o Deus vivo nem se preocupar com Ele, seria compactuar com a mentira.

A verdade é que haverá um juízo sobre a terrível iniquidade do homem do qual ninguém pode escapar (2 Pedro 3:10).

A falsa segurança se dissipará de um segundo para outro. O “refúgio da mentira” será varrido pela ira vindoura. Como as águas se precipitam por uma brecha aberta na represa e devastam os cantos mais escondidos, assim os juízos divinos se precipitarão sobre este mundo. “Que fareis ao fim disto?” (Jeremias 5:31).

Deus nos fala de maneira intensa para despertar nossa consciência. A destruição que assolará este mundo vai definir o destino eterno de milhões de pessoas. Só o Senhor Jesus pode nos resgatar disso!

A CEIA

Fazei isto em memória de mim

(1 Coríntios 11:24).

A CEIA

Ele não pode suportar ser esquecido por aqueles a quem tanto ama neste mundo. Todos somos completamente indignos; mas o Senhor Jesus nos ama mesmo assim, e morreu para nos tornar Seus. Ele deseja que nos lembremos disso e nos deu instruções claras a este respeito.

Se a ceia do Senhor significa alguma coisa, então participar dela significa que O amamos e sentimos falta dEle neste mundo que O rejeitou. Ele investiu a ceia dessa característica: “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha” (11:26). A ceia é a expressão do anseio da Igreja por voltar a estar com Seu Senhor, anunciando Sua morte, mas também anunciando o dia em que Ele virá.

Conhecemos o Senhor pela fé na glória, e temos comunhão com Ele ali. Isso apenas torna a rejeição deste mundo mais intensa. A cruz é o instrumento pelo qual o mundo está crucificado para nós, e nós para o mundo.

Ouvir o Senhor dizer: “Fazei isto em memória de mim” não é como se Ele dissesse: “Você sente minha falta?”. E quando o apóstolo declara: “Anunciais a morte do Senhor, até que venha”, isso não soa como: “Você realmente deseja que Eu volte?”

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 1 REIS

E o Senhor ouviu a voz de Elias

(1 Reis 17:22).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 1 REIS (Leia 1 Reis 17:7-24)

Elias não dependia do ribeiro, nem dos corvos, mas da palavra dAquele que lhe dissera: “Ordenei aos corvos que ali mesmo te sustentem” (v. 4). Então, quando o ribeiro secou, ele não ficou desamparado, mas recebeu uma nova mensagem: “Ordenei a uma mulher viúva que te dê comida” (v. 9). Essa viúva estava mergulhada na mais extrema miséria, porém isso não fazia diferença para Elias, pois o Senhor tinha dito que ela o sustentaria! Essa mulher de fé, a quem o Senhor fez referência para os habitantes de Nazaré a fim de envergonhá-los (Lucas 4:25-26), teve uma extraordinária experiência. Quando Deus exige um serviço (neste caso, alimentar Seu profeta), ao mesmo tempo concede o que é necessário para sua realização. Devemos simplesmente fazer o que Deus mandou em primeiro lugar, sem argumentar. Isso é o que nos ensina o pequeno bolo, a prova da fé daquela mulher e a “primícia” da abundância divina para sua casa.

Algum tempo depois, a viúva teve uma segunda experiência ainda mais extraordinária: a morte e ressurreição de seu filho. Aqui nossos pensamentos são elevados do profeta para o Senhor Jesus Cristo, ressurreto dentre os mortos. Ele também não ressuscitou o único filho de outra mulher viúva (Lucas 7:11-15)?

BARTIMEU UMA OPORTUNIDADE BEM APROVEITADA

Hoje, se ouvirdes a sua voz, Não endureçais os vossos corações

(Hebreus 3:15).

BARTIMEU UMA OPORTUNIDADE BEM APROVEITADA

Bartimeu era cego. Mendigava à beira do caminho onde o Senhor Jesus iria passar. Ao escutar isso, exclamou: “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim”. Muitos queriam que ele se calasse, mas ele gritou ainda mais alto. O Senhor Jesus ouviu, parou e lhe disse: “Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho” (Marcos 10:46-52).

Para Bartimeu, o fato do Senhor Jesus passar no local onde ele estava era uma oportunidade única que tinha de aproveitar. Se tivesse esperado alguns minutos a mais, ou se tivesse se calado por causa da censura da multidão, perderia definitivamente a chance de mudar de vida. Jamais conheceríamos sua história, pois o Senhor Jesus nunca mais passaria ali, pois morreria na cruz em poucos dias.

Algumas oportunidades se apresentam apenas uma vez na vida. Temos de agarrá-las se quisermos as bênçãos que elas contêm. Em particular, estejamos atentos aos chamados da graça de Deus. Ele é paciente, mas é armadilha mortal supor que teremos tempo e oportunidade infinitos de nos convertermos a Ele.

O tempo pertence a Deus; para nós ele passa e não volta. A Palavra de Deus nos ordena a nos arrependermos sem demora. “Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus” (Mateus 3:2). Cada convite para nos voltarmos ao Senhor tem caráter de urgência, porque pode ser a última chance que teremos em toda a eternidade!