As Obras de Deus:

\"Os céus declaram a glória de Deus\" (Sl 19:1, NVI) Rádio a Voz do Evangelho

Ele nos ouve e nos responde:

Inclina, SENHOR, os teus ouvidos, e ouve-me, porque estou necessitado e aflito. Salmos 86:1

Somente o Senhor Jesus pode nos garantir Vida Eterna!

”E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.”

As moradas de Deus:

Como é agradável o lugar da tua habitação, Senhor dos Exércitos! Salmos 84:1

 

AS PROFUNDEZAS DO OCEANO

Quem é Deus semelhante a ti, que perdoa a iniqüidade? ? e tu lançarás todos os seus pecados nas profundezas do mar.

Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor

(Miquéias 7:18-19; Romanos 6:23).

AS PROFUNDEZAS DO OCEANO

Em sua cidade, Billy era conhecido por ser alcoólatra. Certo dia ouviu o evangelho e recebeu Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Agora, libertado da escravidão do álcool, não se envergonhava de falar de sua felicidade a todos. Lia a Bíblia como a carta que Deus enviou aos homens, e não deixava de se maravilhar. Um dia ficou sabendo que no oceano há lugares com mais de onze quilômetros de profundidade. Então exclamou: “É maravilhoso! A Bíblia diz que Deus lançou todos os meus pecados nas profundezas do mar. É evidente que jamais poderão ser encontrados novamente, porque o oceano é profundo demais!”.

Sim, Deus jamais se lembrará dos pecados daqueles que creram no Senhor Jesus, pois graças à Sua obra na cruz, todos os pecados confessados são perdoados. Quando nos rendemos ao Senhor Jesus, experimentamos uma alegria e uma paz indescritíveis. Mas o tempo passa e nos deixamos invadir pelas preocupações, e até voltamos a falar de pecados antigos e já confessados. Lembremos sempre que o Senhor Jesus levou o peso de nossa culpa. Não devemos andar atormentados por causa de nosso passado. Aceitemos o perdão de Deus com uma fé renovada, e vivamos como pessoas que realmente são livres da escravidão do pecado e da culpa pelo sangue do Cordeiro de Deus. E assim poderemos exclamar: “A ti agradou livrar a minha alma da cova da corrupção; porque lançaste para trás das tuas costas todos os meus pecados” (Isaías 38:17).

PERDIDO NA NOITE

Ao que bate, abrir-se-lhe-á.

Eu sou a porta das ovelhas

(Mateus 7:8; João 10:7).

PERDIDO NA NOITE

Meu pai gostava de contar o seguinte episódio de sua infância. Era uma noite de inverno na região de Ardeche, França. Durante o dia havia nevado muito e a fazenda onde ele morava ficou completamente isolada. De noite o vento acumulou a neve, de modo que todo ponto de referência havia desaparecido e qualquer movimentação era perigosa.

De madrugada alguém bateu à porta. Era um homem da aldeia vizinha que se perdera. Quando percebeu onde estava não quis entrar, pois pensou que acharia sua casa com facilidade, a qual ficava a algumas centenas de metros.

Toda família foi dormir. Mas às três da manhã meu avô teve de se levantar para abrir a porta para o mesmo vizinho que continuou dando voltas na tempestade, e não havia avançado um metro na direção correta. Meu avô o obrigou a entrar e passar o resto da noite ali, esperando até o amanhecer.

Essa pequena história, que poderia ter terminado tragicamente, me faz pensar em todos os que durante a vida estão em contato com a mensagem do evangelho e não prestam atenção a ela. Crêem que podem obter a salvação por seus próprios meios, recusam a graça de Deus e prosseguem seu caminho, correndo o risco de se perderem em definitivo.

Se este é o seu caso, leitor, pare imediatamente e escute o que Deus quer lhe dizer: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus” (Efésios 2:8).

O CÃO E A PORCA

Melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado; deste modo sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito, e a porca lavada ao espojadouro de lama

(2 Pedro 2:21-22).

O CÃO E A PORCA

Quem afirma que se pode perder a vida eterna geralmente utiliza os versículos acima como argumento. Para nós é uma oportunidade de recomendar aos nossos leitores o estudo dos princípios bíblicos em diferentes epístolas e não isolar versículos do contexto. Se lermos o capítulo inteiro é evidente que aqui se trata da corrupção daqueles que levam o nome de cristãos sem jamais terem conhecido a Deus de fato. Inclusive ensinam doutrinas falsas e imorais.

A porca se lavou superficialmente, não mudou em nada sua natureza, e logo voltou ao chiqueiro: assim ocorre com a cristandade. Se estudarmos 2 Timóteo 3:1-9 e 13, Judas e Apocalipse veremos que o cristianismo de massa não terminará em triunfo, mas cairá em um estado pior que o paganismo. Semelhante ao cão que volta ao seu vômito, o homem se compraz internamente com o mal, pois assim é sua natureza.

O Espírito Santo jamais aplica tais termos – porca e cão – aos verdadeiros crentes, mas os chama de ‘ovelhas’. Outras passagens nos mostram que existem os que se infiltram entre os fiéis e passam despercebidos porque se disfarçam de ovelhas, mas na realidade são lobos terríveis que devoram o rebanho (Mateus 7:15; Atos 20:29).

ELE ERA TÃO MAU?

Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.

Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo

(Salmo 119:9; João 3:7).

ELE ERA TÃO MAU?

A História relata que Nero foi um belo menino, com um coração tão terno que não suportava ver um animal sofrer. Mas quando cresceu se tornou um monstro, um dos piores homens que já ocupou um trono. Sua crueldade lhe proporcionava um prazer diabólico.

Conta-se que ordenou o incêndio de Roma, e delirou ao ver as chamas, propagadas pelo vento, devorarem tudo. Nada o comovia: nem as perdas materiais, nem a morte de tantas pessoas.

Dominado por Satanás, Nero se fez inimigo do Senhor Jesus Cristo e dos cristãos. Mandou assassinar muitos crentes. Uns eram untados com piche e queimados vivos, outros foram jogados às feras na arena, outros ainda sofreram toda sorte de torturas. Também matou o apóstolo Paulo.

Lembremos que esse monstro de crueldade foi um jovem amável e sensível. O coração dele era igual ao meu e ao seu, leitor. Embora não tenhamos cometido as atrocidades que Nero cometeu, ele tinha a mesma natureza que nós. E, portanto, não somos melhores que ninguém. A Bíblia declara: “Porque, quando estávamos na carne, as paixões dos pecados? operavam em nossos membros para darem fruto para a morte” (Romanos 7:5). “Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus” (Romanos 8:8).

Mas a Bíblia também afirma: “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo” (Atos 16:31). “Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós” (Romanos 8:9).

CABEÇAS DURAS; ALMAS MORTAS

E eis que houvera um grande terremoto, porque um anjo do Senhor, descendo do céu, chegou, removendo a pedra da porta, e sentou-se sobre ela.

(Mateus 28:2-4).

CABEÇAS DURAS; ALMAS MORTAS

Tanto na morte quanto na ressurreição do Senhor Jesus, Deus fez a terra a tremer; e, além disso, outro milagre ocorreu bem diante dos guardas romanos que guardavam a tumba. Um anjo do céu veio e rolou a grande pedra que bloqueava a entrada da tumba, e se sentou sobre ela. Suas vestes eram brancas e resplandecentes, seu rosto brilhava como um relâmpago. Não é de se estranhar que os guardas ficassem apavorados!

Quando os guardas relataram o que viram aos principais sacerdotes, estes os subornaram para mentir e dizer que os discípulos do Senhor Jesus roubaram o corpo dEle enquanto dormiam. É claro que qualquer pessoa de bom senso jamais engoliria esta mentira, pois se estavam dormindo, como os guardas sabiam que os discípulos tinham retirado o corpo?

Os sacerdotes sabiam muito bem que o Senhor dissera que ressuscitaria, mas um ódio descarado os impelia a agirem contra Deus. Deus claramente interveio, mandando um terremoto e um anjo, mas eles se recusaram a admitir isso!

Muitos santos ressuscitaram também e apareceram em Jerusalém (Mateus 27:52-53). Como é patético uma pessoa que se recusa a admitir fatos, não importa quão gritantes sejam! E, no entanto, essa é a atitude predominante hoje, entre os que andam “na vaidade da sua mente. Entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração” (Efésios 4:17-18).

A “dureza de coração” não é um ‘privilégio’ dos não-cristãos. Até entre os próprios cristãos essa é uma mentalidade que prevalece. Por isso o apóstolo nos adverte: “Vede que não rejeiteis ao que fala; porque, se não escaparam aqueles que rejeitaram o que na terra os advertia, muito menos nós, se nos desviarmos daquele que é dos céus” (Hebreus 12:25).